sexta-feira, 19 de maio de 2017

Passagem da Equipe do Documentário Arquiteto Hans Broos e parte de sua obra - Blumenau SC

Hans Broos - Década de 1960










Acompanhamos parte da coleta de dados e imagens da vida e obra do arquiteto eslovaco de família alemã - Hans Broos por parte de uma equipe de produção do documentário "Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal". A equipe é da República da Eslováquia, país onde está a cidade que Hans Broos nasceu.
Hans Broos foi um arquiteto que chegou no Brasil quase uma década após o fim da 2° Guerra Mundial da Europa, onde teve experiência profissional com a reconstrução de inúmeras cidades na Alemanha e depois intuído em buscar uma maneira nova de fazer arquitetura, ao contrário de muitos outros arquitetos alemães que mudaram-se nesse mesmo período para os Estados Unidos, escolheu o Brasil para fazer sua arquitetura.

Mais detalhes dessa história em sua resumida biografia - Clicar sobre: Hans Broos

Esse blog pode ser acessado em todos os quadrantes do planeta e também na Eslováquia - terra natal do arquiteto Hans Broos.
A equipe, formada pelo diretor eslovaco Ladislav Kabos, ou Ladislav Kaboš, a produtora Darina Smrzová e a tradutora e formada em cinema Zuzana Bielikov, também leu a nossa postagem sobre o arquiteto Hans Broos. O que os motivou a contar sobre a obra e a vida do arquiteto que residia no Brasil.
Ladislav Kabos entrou em contato com sua conterrânea que reside no Brasil - Zuzana Bielikov e essa entrou em  contato conosco.
Ladislav Kabos, Darina Smrzová, Zuzana Bielikov e Valquíria Starke - Cia Hering

"Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal"
" O Arquiteto Hans Broos (1921-2011)Nasceu em Velka Lomnica - na Eslováquia, foi formado no Liceu em Kezmarok em 1940. Ele não esperava que quando fosse partir para estudar arquitetura em Praga (1940-1943), e mais tarde em Braunschweigen, na Alemanha, jamais voltaria para casa." Equipe do Documentário
Conhecemos a equipe do documentário, no último dia 16 de maio junto a uma das obras mais importantes do arquiteto - na cidade de Blumenau - a ampliação fabril da Cia Hering
Nesse momento coletaram dados para organizar o roteiro do documentário e no próximo ano, retornarão ao Brasil,  Blumenau para efetuar e filmar, com melhor equipamento, as imagens mais importantes e definitivas para o longa metragem.
Em uma conversa que tivemos com o arquiteto, em uma tarde, na sua varanda da residência do bairro Boa Vista, contou-nos que a obra da Cia Hering foi delineada a partir do estreito relacionamento dessa com a paisagem natural existente no Vale do Bom Retiro. Disse-nos que desejavam uma ampliação muito grande e se fosse assim, seria uma intervenção agressiva ao meio e à paisagem natural. Conversou com a liderança da empresa da época e sugeriu um plano qual criou as células fabris. Conseguiu isso, explicando que se levassem a fábrica junto à mão de obra - como células fabris - dispensariam o translado maior do trabalhador até à fabrica- matriz.
Vale da Cia Hering - Vista parcial
Onde está a genialidade do arquiteto Hans Broos, a partir da arquitetura?
“Nasci na Áustria, de família alemã. Entrei na universidade em Praga, onde dei os meus primeiros passos como aluno de arquitetura. Terminei o curso na Alemanha por causa da guerra, e em Braunschweig colaborei na reconstrução da cidade.”Hans Broos
Hans Bros tinha o dom de conciliar, com harmonia e habilidade, a rusticidade e brutalidade do concreto  à paisagem natural e histórica. Conseguia conciliar a delicadeza de um jardim ao concreto dentro da linguagem brutalista.














A equipe passou praticamente todo o dia 16 de maio na Cia Hering.
No dia 17, no período da manhã a equipe visitou outras obras de Hans Broos, entre elas a Igreja Luterana de Itoupava Seca, onde igualmente os acompanhamos. 

No período da tarde, se deslocou até a casa que Hans Broos residiu na cidade de Blumenau até o momento que foi colocado em um asilo e  permaneceu nesse local até partir

Vista de Blumenau a partir da sacada do quarto do arquiteto - ponte de ferro Aldo Pereira de Andrade
Trabalho na frente da casa do arquiteto
Na sua casa do Bairro Boa Vista - Blumenau, o arquiteto gostava de ficar na varanda onde admirava o Rio Itajaí Açu, a montanha, o centro da cidade  e a ponte de ferro Aldo Pereira de Andrade. 
Gravaram nosso depoimento para o documentário nesse local. Era onde conversávamos com o arquiteto e também onde foi comemorado seu 89° aniversário no dia 10 de outubro de 2010. 
Hans Broos no dia de seu 89° Aniversário na varanda


Varanda da residência de Hans Broos - no dia de seu 89° aniversário - Blumenau SC

Diretor eslovaco Ladislav Kabos
Blumenau SC - Brasil - 17 de maio de 2017.
No dia em que estivemos no local com a equipe do documentário, transcorreu tudo perfeitamente como se tivéssemos planejado os detalhes. Foi uma visita surpresa sem planos e agendamento. Tudo transcorreu bem.
Saindo da residência do arquiteto, levamos a equipe até um local, onde pudessem fazer fotografias panorâmicas do centro de Blumenau.


Blumenau SC - Brasil




Alguns registros dos momentos da equipe do documentário "Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal" - e de sua obra - em Blumenau.
“O professor que, para mim, foi o responsável pela intensificação do pensamento, da imaginação, nem era arquiteto: chamava-se Egon Eiermann e trabalhava para a UFA, produtora de filmes em Berlim. Cheguei a ser assistente de Eiermann - fizemos a reconstrução de um velho templo em Berlim. Um dia, ele me perguntou: “O que vamos dizer hoje aos alunos?”. Eu lhe disse que falasse sobre Le Corbusier. Como ele não conhecia Corbusier, enviou-me à Suíça para que eu trouxesse as novidades.”Hans Broos
 Cia Hering


























Refeitório - cujo teto é o jardim suspenso de Burle Marx e o local aonde a equipe almoçou




“Eu sempre fiz prédios individuais, em princípio muitos mosteiros e fábricas, que, de fato, são projetos parecidos. Se o projeto de uma fábrica é bom, os operários se sentem como uma comunidade, e o mesmo ocorre em uma igreja. Quando isso não acontece, só tem briga e poeira.” Hans Broos







Acesso ao jardim suspenso de Burle Marx















“Quem queria chegar à faculdade de arquitetura tinha que aprender profissões práticas, como carpinteiro e pedreiro. Além disso, tínhamos de viajar e conhecer a Europa: a torre de Pisa, na Itália, a Grécia. O ensino era mais prático. O que me ajudou muito no Brasil foi justamente o fato de que, como arquiteto e engenheiro, eu sabia fazer alvenaria, fundações etc.” Hans Broos






























Jardim suspenso - projeto assinado pelo paisagista Burle Marx - teto de alguns ambientes entre eles - o refeitório





João Maria Schissel



Vídeo










































































Igreja Luterana Itoupava Seca
“Na época em que comecei, a grande inovação da tecnologia foi a passagem da pedra para o concreto. Não existia igreja ou capela que não fosse de pedra, se possível de pedra natural. Até que houve a descoberta de materiais resistentes, descobertos pela mistura da cal. Conhecia-se o cimento, e com adição de óleo de baleia ele fica mais resistente. Mas na minha época houve justamente a luta para esse novo material - o concreto. Corbusier aplicou isso, mas estava praticamente na mesma situação dramática que eu. Cheguei ao Brasil justamente na hora em que o concreto era novo, praticamente pronto para ser aproveitado.” Hans Broos







“Na época em que comecei, a grande inovação da tecnologia foi a passagem da pedra para o concreto. Não existia igreja ou capela que não fosse de pedra, se possível de pedra natural. Até que houve a descoberta de materiais resistentes, descobertos pela mistura da cal. Conhecia-se o cimento, e com adição de óleo de baleia ele fica mais resistente. Mas na minha época houve justamente a luta para esse novo material - o concreto. Corbusier aplicou isso, mas estava praticamente na mesma situação dramática que eu. Cheguei ao Brasil justamente na hora em que o concreto era novo, praticamente pronto para ser aproveitado.” Hans Broos

“As notícias sobre a arquitetura brasileira eram tão convincentes que resolvi conhecer de perto essas experiências” – Hans Broos.






























Casa que foi de Hans Broos  - Blumenau

Está situada às margens do Rio Itajaí Açu e tem privilegiada vista para o rio e para a cidade.
Mapa que fizemos no ano de 2010 para as pessoas que desejavam visitá-lo







“A Europa é pequena e na época era comum que os países estivessem em guerra. Não existiu geração que não tenha passado pela guerra. E pensei comigo: em vez de esperar a próxima guerra, vou conhecer o mundo. Então cheguei ao Brasil.” Hans Broos




Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.
Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.
Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.






Vista Panorâmica de Blumenau

Muito diferente daquela que Hans Broos viu pela primeira  vez. 


Encerramento do dia 17 de maio

Em 2018, retornarão ao Brasil - Blumenau e outras duas ou três cidades do país, para terminar a coleta de materiais e informações, para então, lançar o Documentário da obra e vida do arquiteto Hans Broos no mês de dezembro de 2018.

"Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal"

Um pouco sobre  Bratislava - Capital da República da Eslováquia
Bratislava  é capital da República da Eslováquia. É chamado pelos países de língua alemã de Pressburg. Está localizada no sudoeste do país, na fronteira com a Áustria e também com a Hungria. A cidade, como acontece com muitas cidades alemãs e austríacas -  é cortada pelo rio Danúbio em seu curso. Sua população é de 427 mil habitantes.
Já comentamos que na Europa “Cidade desenvolvida" e economia não tem relação aos números de habitantes e ao adensamento. A qualidade de vida tem relação sim, com cidades médias e pequenas – herança dos gregos clássico que não permitiam que uma polis tivesse uma população superior a 5 mil pessoas – número ideal para governabilidade.
Os Cárpatos, uma cordilheira famosas na Europa, começa no território da cidade que também é a sede da presidência, do parlamento e do governo eslovacos. A cidade também contém universidades, museus, teatros.







Em construção...











2 comentários:

  1. Cara Angelina, o registro que você fez em seu blog da visita da equipe eslovaca vale por um documentário, um belo documentário. Num país que mal preza sua memória histórica e cultural, registros como este são cruciais para as futuras gerações entenderem porque a Arquitetura é também uma arte.Forte abraço. O.Maretti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem aprecia a história e entende que é importante para o desenvolvimento e entendimento social, independentemente da escala da comunidade envolvida, procura "fazer e materializar" a história, a partir do presente, para o futuro.
      Gratidão pelas palavras. Forte abraço.

      Excluir