domingo, 11 de fevereiro de 2018

Arquitetura - Projetos de Hans Broos - Rio do Sul SC

Residência Gottardi 


Maristela Macedo Poleza
A arquiteta e pesquisadora da cidade de Rio do Sul - Maristela Macedo Poleza - confirmou-nos e apresentou-nos algumas obras, cujos projetos são de autoria do Arquiteto Hans Broos naquela cidade, o que muito nos surpreendeu, pois desconhecíamos que o mestre  e um dos ícones da arquitetura brutalista brasileira - Arquitetura Moderna -  tivesse obras naquela região catarinense.
Arquiteto Hans Broos
O Arquiteto Hans Broos, de família alemã, nasceu na cidade Velka Lomnica no dia 10 de outubro de 1921 - na Eslováquia. Seus pais eram Johann Broos e Elisabeth Mock-Broos. Tinha mais dois irmãos: O Mathias e um irmãos mais jovem que foi morto em uma emboscada em um trem, durante a 2° Guerra Mundial. 
De acordo com o depoimento de um admirador e amigo do arquiteto, sob a postagem de Hans Broos - no Blog do 25 - de nossa autoria - a família Broos foi obrigada pelo regime comunista da Tchecoslováquia, a partir para a Alemanha Ocidental. Seu bisavô lutou contra o avanço dos turcos-otomanos na Europa. Com isso, ele e outros receberam do Império Austro-Húngaro terras em Gross-Lomnitz e Eisdorf, onde formou-se os "dorf-zipser" de língua alemã..."

Hans-Peter
Curiosamente, no final de janeiro de 2018, o filho do irmão de Hans Broos - Mathias, entrou em contado conosco (escreveremos uma postagem exclusiva sobre essa história), após ter visto nosso trabalho sobre a biografia resumida do arquiteto Hans Bros, cuja obra e vida serão apresentados em um Documentário produzido por uma equipe da Eslováquia. "Fizemos a ponte" entre a equipe do Documentário e o sobrinho de Hans Broos - Hans-Peter Broos, que até então, não se conheciam. Encontrarão-se no dia 23 de fevereiro de 2018, na cidade de Berlin. O sobrinho de Hans Broos - Hans-Peter Broos, explicou-nos que recebeu o nome "Hans"  para homenagear seu tio - Hans Broos.
"Zu Ehren meines Onkels habe ich den Namen Hans-Perter erhalten." Hans Peter Broos
A mãe de Hans-Peter Broos, viúva do irmão do arquiteto (Mathias Broos) - falecido há mais de 40 anos, conversava semanalmente com Hans Broos por telefone, quando possível, todas sextas feiras.

Relembrando...

Hans Broos iniciou seus estudos de  Arquitetura em Praga, entre os anos de 1940 e 1943,  terminou os estudos na Alemanha, na cidade de Braunschweigen, formando-se Engenheiro-arquiteto na Universidade Técnica de Braunschweig, em 1948. Junto com a família, foi obrigado a ir para a Alemanha Ocidental, como já comentado - por questões políticas.
Os três irmãos Broos: Mathias, Hans, e Adalbert

 “Nasci na Áustria (alusão ao Império Austro-Húngaro), de família alemã. Entrei na universidade em Praga, onde dei os meus primeiros passos como aluno de arquitetura. Terminei o curso na Alemanha por causa da guerra, e em Braunschweig colaborei na reconstrução da cidade.” Hans Broos

Em 1954, com 33 anos de idade, Hans Broos viaja para o sul do Brasil, e se instala em Blumenau, onde começa a atuar como arquiteto e desenvolve intensa atividade profissional. Assina diversos projetos e obras na região. Apresentamos, nesse momento, quatro de suas obras construídas na cidade de Rio do Sul.
As obras registradas são:
  • Prefeitura da cidade de Rio do Sul;
  • Casa Helmuth  Baumgarten - atual residência Lilian Bremer Vogelbacher;
  • Casa Gottardi.
Prefeitura da cidade de Rio do Sul - Prefeito Helmuth Baumgarten
Endereço: Praça Nereu Ramos, 1 - Centro, Rio do Sul - SC, 89160-164






O edifício da nova Prefeitura de Rio do Sul que substituiu a antiga e histórica, foi projetado entre os anos de 1958 e 1960. Ao observarmos o edifício, podemos afirmar que não foi respeitado o projeto original de Hans Broos, bem como, posteriormente esse recebeu intervenções destoantes da linguagem predominante da obra, terminando por descaracterizar o projeto do arquiteto.
"Projeto - Prefeitura de Rio do Sul: Broos persegue o ideal de leveza, a diferenciação formal e dos fechamentos, mas de uma forma muito mais madura e sem referências laterais, que o assemelha ao projeto do Internato de Ibirama."
... 
"Na fachada principal todos os detalhes endossam a noção de leveza: o bloco horizontal do segundo pavimento, quase "suspenso" sobre pilotis, que se projeta além dos limites frontais da torre, distingue-se sutilmente desta pelos mesmos pilotis. No último pavimento a cobertura parcialmente vazada também desfaz a noção de bloco fechado. É claro a, a presença massiva de vidro como fechamento, faz do prédio um elemento quase cristalino. Na fachada oposta, o arquiteto utiliza brises verticais como recurso para a diferenciação formal. Em oposição a esta fachada opaca, as torres envidraçadas deixam antever as delicadas estruturas de circulação. 
Do cubo fechado e do volume autônomo o arquiteto parte para a procura de maior diferenciação formal, composição volumétrica, tendo em vista maior riqueza espacial, movimento e liberdade projectual; noções que geraram novas concepções formais para o desenvolvimento do projeto residencial."                  Tese de Karine Daufenbach
Execução do projeto não respeitou a originalidade da proposta do arquiteto










Soubemos, no momento que coletávamos dados para essa pesquisa, que o edifício da Prefeitura Municipal de Rio do Sul está tombado. 
Nessa situação, teria mais sentido tombar uma outra edificação, entre as quatro que apresentamos e que está para ser demolida, do que o edifício da prefeitura municipal, pois ele não representa, mesmo tendo origem em um projeto de Hans Broos, seu projeto. Isso poderia ser cogitado, com lastro e veracidade, somente se esse fosse recuperado e adequado ao projeto original do arquiteto. Estamos aguardando o projeto arquitetônico, solicitado á prefeitura, que por sua vez, solicitou a Fundação Cultural da cidade. 
Por que isso? Hoje sabemos e conhecemos essa história no momento presente, mas poderá ficar confuso, quando tivermos um intervalo de tempo histórico maior,  contado a partir de intervalos medidos por séculos.
As proporções (áureas) do projeto do arquiteto Hans Broos não foram respeitadas no momento de sua execução. Os dois croquis estão com a mesma escala

















A virada do século XIX para o Século XX foi tumultuada e cheia quebras de paradigmas, inícios de ciclos, mudanças tecnológicas, sociais, políticas e econômicas. Houve reflexo nas artes, como por exemplo, na arquitetura.
Já dissertamos sobre, em algumas postagens. Sugerimos a leitura - Clicar sobre: Arquitetura - Siedlung - Hufeisensiedlung Britz - Berlin

Surgiu a Arquitetura Moderna na Europa, América e também, no Brasil. Período com experimentos de novos materiais - como o concreto armado. Hans Broos, quando veio para o Brasil conhecer e fazer a nova arquitetura, com a nova linguagem e materiais, limpa e cheia de arte nas linhas retas, curvas e na forma, encontrou um universo para desenvolver a sua arquitetura. Eram usados critérios matemáticos para definir a forma e não se poderia aceitar que um projeto não fosse executado como concebido. Le Corbusier e seus contemporâneos buscaram na racionalidade, proporções e limpeza da forma no período clássico da história da arte. 

Para ler mais sobre as Proporções Áureas - Clicar sobre: Retângulo Áureo - Natureza e Arte

Ao observarmos a volumetria da arquitetura apresentada pelo arquiteto Hans Broos,  além de ser conhecida pelos aspectos do brutalismo, podemos afirmar que o mesmo é um dos nomes da Arquitetura Moderna. O brutalismo - é um dos seus segmentos.

A Arquitetura Moderna teve duas tendências: a funcionalista e a organicista. A funcional reflete em seus espaços as imposições e exigências da sensibilidade mecanicista criada pelo ambiente industrial e a orgânica procura atender não somente  às necessidades práticas e utilitárias, mas também às necessidades psicológicas do homem, com a humanização da arquitetura, integrando-a na natureza. Hans Broos tinha intimidade e se posicionava muito à vontade nas duas tendências da Arquitetura Moderna.
Jardins Suspenso - Cia Hering - B. Retiro - Blumenau
Projeto paisagístico - Burle Marx
De uma maneira abrangente - a Arquitetura Moderna pode ser observada a partir de alguns princípios - sempre, ou quase sempre, presentes nos projetos do Arquiteto Hans Broos.
São eles:
  • Os pilotis  (Quase sempre, descaracterizados em sua obra, para a criação de mais espaço construído - área construída);
  • Os tetos jardins (Um exemplo - a obra de Burle Marx - na Hering Blumenau - Projeto Hans Broos);
  • A planta livre;
  • Janelas longitudinal;
  • Ausência de fachada principal.
  • Simplicidade  e lógica de formas - ausência do decorativismo;
  • Entre outros.
No projeto da Prefeitura Municipal de Rio do Sul - é perceptível o cuidado com que busca a  leveza nas composições volumétricas de sua arquitetura, projetadas a partir das proporções áureas - responsável pela forma final da arquitetura. Não poderíamos afirmar que a volumetria da atual Prefeitura de Rio do Sul se apresenta assim, porque o projeto, desde o princípio, não foi executado de maneira original e sua forma atual, não é somente resultado das intervenções ocorridas posteriormente. 
A razão entre a altura, profundidade e largura não são as mesmas da propostas de Hans Broos desde a sua primeira construção. 




Faltou a altura proposta e a largura do pavimento térreo foi alterada.



Intervenções posteriores, criando mais área, descaracterizaram ainda mais o projeto original.



Escadas receberam corrimão.

Pilotis foram incorporados - nas intervenções. 
Estavam localizados em espaços abertos - criado espaço fechado


Escadas originais


Escadas - Novos usos

Detalhes com as características do arquiteto  - originalidade.
Destalhes simples - mas  muito bem elaborados.


Prefeitura Municipal - Projeto totalmente descaracterizado



Ex pilotis


Áreas  "criadas" após intervenções.- com divisórias pré-fabricadas para escritório.


Residência Helmut Baumgarten - Ex Prefeito de Rio do Sul 
Atual Residência Lilian Bremer Vogelbacher
Alameda Bela Aliança, 292 - Jardim América, Rio do Sul - SC, 89160-000

No momento presente está sendo construído um monumental muro - segurança dentro das atuais cidades. Projeto original previa a edificação integrada à natureza e à rua, de maneira visual, demarcada somente  pelo desnível do terreno.
 A residencia  apresenta linhas que caracterizam a arquitetura do Arquiteto Hans Broos, com aspectos da Arquitetura Moderna. A edificação está  bem preservada e é muito bom registrar um exemplar em tão bom estado de conservação e em uso dentro do sítio original. Só pudemos observá-la da rua. Mas foi o suficiente, para registrar sua existência.
É um exemplar da obra do arquiteto Hans Broos que poderia estar inserido, como registro histórico, no documentário que está sendo feito pela equipe da Eslováquia.
As imagens comunicam.

"Retiramos a janela lateral" - Talvez assim temos a originalidade do projeto do arquiteto no segundo pavimento.

Observando a residência do ex Prefeito Helmuth Baumgarten e atual de Lilian Bremer Vogelbacher, observamos que foram acrescidas paredes no piso térreo encobrindo os pilotis, uma das características das obras ou projetos de residências de Hans Broos. Um exemplo é a semelhança dessa, com a residência de Curt Zadrosny, na cidade de Blumenau. O resultado é a sensação de que o elemento vertical esteja em balanço, flutuando, enquanto um dos lados do conjunto está engastado no terreno.
O espaço dos pilotis recebeu paredes


Residência Gottardi - construída na Década de 1960
Alameda Bela Aliança, 292 - Jardim América, Rio do Sul - SC 89160-000
Aos fundos da casa projetada por Hans Broos está sendo construída uma torre com escala e gabarito destoante - grão maior - do que àqueles compõem a paisagem, no entorno, o qual tem vista privilegiada para o centro da cidade e da cidade, vista para as montanhas - agora interrompida pelo impacto visual.
Aos fundos da casa projetada por Hans Broos está sendo construída uma torre com escala e gabarito destoante - grão maior - do que àqueles compõem a paisagem, no entorno, o qual tem vista privilegiada para o centro da cidade e da cidade, vista para as montanhas - agora interrompida pelo impacto visual.


Na primeira semana de fevereiro de 2018, quando andávamos na Rua Aristiliano Ramos - centro da cidade de Rio do Sul, uma construção chamou nossa atenção, por sua "imposição agressiva" à paisagem e à escala atual da cidade, com foco no seu Skyline. Naquele momento percebemos o precedente que se abre para a célere mudança na paisagem, já descaracterizada da cidade colonial do início do Século XX. Nós fotografamos e comentamos, sem nos darmos conta de que o "galpão" do canteiro dessa obras é uma das casas projetada por Hans Bros na cidade de Rio do Sul. Em breve, será demolida para a construção da segunda torre.


















Predomínio da horizontalidade, com a presença das proporções áureas e também, dos brises.























Vista do Jardim para o centro da cidade de Rio do Sul - A mesma vista "comercializada" nas torres - vistas de todos que com o tempo poderá ser comprometida.





































Cia Hering - Bom Retiro - Blumenau
A obra de um arquiteto que deixou sua marca e sua extrema preocupação e cuidados com o espaço das cidades - Hans Broos. 
Alterava o desenho para inserir e permitir uma árvore continuar no conjunto - no meio. A paisagem construída  integrava-se à paisagem natural de maneira harmoniosa, onde a natureza complementava a rusticidade do brutalismo e a forma lhe denotava a poesia na arquitetura. 
Questão de sensibilidade. Isso foi lembrado, quando partiu...








----------------------------------
Dia 14 de fevereiro de 2018
Recebemos notícias de Rio do Sul - que a Casa Gottardi acabou de ser demolida - dia 13 de fevereiro de 2018.

Epílogo - 17 de Fevereiro de 2018
Casa Gottardi - Uma arquitetura que sintetizava, através de sua volumetria, planta, espacialização, materiais, situação no terreno, proporções, a identidade característica das obras de Hans Broos na cidade de Rio do Sul, foi demolida, da noite para o dia, ou no dia 13 de fevereiro de 2018.
Efetuamos registros de seus momentos finais, com celular, postadas acima, para a História, testemunhando que esteve presente na paisagem da cidade de Rio do Sul.
Edificação histórica - Antiga Prefeitura Municipal de Rio do Sul
Em contrapartida, apontamos a descaracterização, desde o princípio da construção, do projeto para a Prefeitura Municipal - projeto do arquiteto - não respeitado em sua originalidade, construído para substituir a prefeitura histórica (Foto ao lado) no final dos anos de 1950. O projeto "acabado" não representa uma obra do Arquiteto Hans Broos, por estar desprovido de suas principais características - resultado da combinação: largura, altura e profundidade a partir das proporções áureas, entre outras questões, como: brises e panos de vidro na fachada sul.


Estrutura da FAMOSC – tornando-se um complexo - quando em 1985, a 
Prefeitura de Blumenau mandou construir o Pavilhão C, em tempo 
recorde. Durante muito tempo o local foi o maior e mais moderno espaço
para eventos de Santa Catarina. Foi construído pela Prefeitura Municipal 
de Blumenau e era parte do patrimônio público da cidade de Blumenau.
Apesar disso, em um ato político, com a presença de políticos municipais, regionais e estaduais, entre esses, um Senador e também, governador, que autorizou a demolição do Complexo da FAMOSC/PROEB - exemplar de arquitetura moderna na cidade de Blumenau, foi assinado o tombamento do Edifício da Prefeitura Municipal de Rio do Sul, com a presença do Arquiteto Hans Broos, que já se encontrava doente e com a idade de 88 anos. Alguns meses depois, foi vítima de dois derrames. 
O evento de tombamento do prédio da Prefeitura Municipal de Rio do Sul aconteceu no dia 25 de maio de 2009.

Texto apresentado pelo Departamento de Comunicação da Prefeitura Municipal de Rio do Sul sobre o evento
"Rio do Sul “Aprendi com um engenheiro da República Tcheca, ao qual chamava carinhosamente de Anjo Gabriel, que devemos sempre colocar a alma em nossos projetos de vida”. Com voz mansa e discurso carregado de emoção ao falar sobre resgate do patrimônio, o arquiteto eslovaco Hanz Bross agradeceu ao prefeito de Rio do Sul Milton Hobus por participar do ato de descerramento da placa que simboliza o tombamento do prédio onde hoje se localiza a Prefeitura de Rio do Sul.
A cerimônia, realizada no Hall da Prefeitura na manhã de segunda-feira (25), contou com a presença do Governador Luiz Henrique da Silveira, além do diretor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Dalmo Vieira Filho.
O arquiteto Hanz Brooz é o autor do projeto de construção do edifício onde hoje se localiza o Centro Administrativo Helmuth Baumgarten, na Prefeitura. Ele comentou da alegria em perceber que após a reforma do prédio, as características arquitetônicas foram mantidas: “não me lembro dos detalhes na época quando elaborei o projeto, mas reconheço que as características principais foram mantidas e modernizadas”. Ele ressaltou ainda a emoção de saber do tombamento do prédio e que fará parte do patrimônio histórico cultural.
Durante a solenidade, o prefeito Milton Hobus agradeceu o empenho da equipe da Prefeitura que tem se dedicado à projetos de preservação do patrimônio histórico e cultural de Rio do Sul. Outros tombamentos já foram realizados na cidade no ano passado, como a Igreja Luterana do bairro Bela Aliança, a antiga escola do Matador e 20 edificações da Estrada de Ferro, como estações, ponte dos arcos, casas do feitor e casas geminadas.
A indicação para o tombamento foi feita pelo Conselho Municipal de Cultura no ano passado e torna o edifício parte do Patrimônio Histórico e Cultural do Brasil, o que possibilita a preservação da originalidade do projeto inicial e a formulação de projetos que viabilizem a captação de recursos para manutenção. O decreto de tombamento foi assinado pelo então prefeito de Rio do Sul, Jorge Teixeira no mês de dezembro de 2008."

Departamento de Comunicação da Prefeitura de Rio do Sul







Arquiteto Hans Broos falando.
Arquiteto Hans Broos falando.

Arquiteto Hans Broos falando.


























Para a História!


Leituras Complementares - Clicar sobre Título escolhido:
------------------------------

Um pedido...
    Gostaríamos de oportunizar esse espaço - e pedir à pessoa que escreveu - na forma de "comentário" sob uma postagem sobre o Arquiteto - de nossa autoria - no Blog do C.C. 25 de Julho de Blumenau que se manifestasse novamente se, porventura, tiver mais informações sobre a história de Hans Broos. Algumas das questões a serem esclarecidas - como e quem o trouxe para o Brasil? Como se feriu na guerra e quem o tratou? Quem foi a enfermeira brasileira que conheceu durante a guerra? São dados importantes para constar no documentário que está sendo realizado sobre sua vida e obra, por uma equipe da Eslováquia.
    A seguir, a mensagem recebida na postagem de 2011, por uma pessoa, aparentemente, muito próxima do arquiteto Hans Broos.
    -----------------


    4 comentários:

    1. nossa destruíram com o projeto original da prefeitura

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Não foi executado que o arquiteto projetou. Seria muito bom se esse fosse resgatado. Parece-me que existe o projeto.

        Excluir
    2. Tão interessante quanto esta pesquisa, seria uma sobre as obras blumenauenses do arquiteto.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Vamos fazer. Grata pela sugestão. Em Breve!
        Abraços.

        Excluir